Diagramação de capa de livro

FINALIDADE DA CAPA

Resumidamente, a capa é o mais importante elemento de marketing e poderosa ferramenta comercial de seu livro.

 

Ninguém vai analisar lenta e demoradamente uma capa, pois sua finalidade não é o de ser uma obra de arte. A capa é, na verdade, um elemento de percepção rápida para despertar a curiosidade do leitor ao primeiro olhar, por isso, uma boa capa deve ser simples e objetiva para que em poucos segundos de olhar sobre ela o leitor sinta atiçada a curiosidade e desperte o interesse em pegar o livro nas mãos para saber mais acerca dele.

A capa é o principal elemento de toda divulgação de seu livro e deve ser criada com critérios estéticos, técnicos e comerciais mais assertivos, sem depender de fatores subjetivos como gosto, opinião ou intuição. Por isso, autor não deve se focar em seu próprio gosto pessoal, e deve confiar em sua editora procurando trabalhar junto com o Supervisor Editorial (que faz o link com o capista e o diagramador), unindo forças para encontrar uma solução que agrade os leitores alvo e potenciais compradores do livro.

Lembre-se que sendo a capa a embalagem comercial de sua obra ela vai estar presente em todas as peças de divulgação, com a missão de criar o primeiro interesse pelo seu livro, atraindo a atenção de seu leitor nas prateleiras das livrarias físicas e nas páginas das livrarias online.

ELEMENTOS FÍSICOS QUE COMPÕEM UMA CAPA

O termo de diagramação de capa costuma ser usado para na realidade se referir a diagramação do conjunto de partes que constituem o que comumente chamamos de capa e que são:

 

Capa (ou primeira capa) e contracapa (ou quarta capa): A capa de um livro opõe-se a contracapa, onde colocamos o texto de apresentação da obra. A área interna da capa é denominada de verso de capa (ou segunda capa), enquanto a área interna da contracapa é denominada de verso de contracapa (ou terceira capa).

As orelhas ou dobras da capa (primeira capa) e da contracapa (quarta capa). Em geral, trazem uma apresentação sucinta do autor e/ ou um pequeno texto complementar sobre a obra ou testemunho de leitores. Além desse suporte para o conteúdo comercial e editorial, a orelha tem também a função física de reforçar a estrutura da capa nos livro de encadernação brochura impressa em papel cartão (geralmente ao redor de 250 g/m²). Na ausência de orelhas, as pontas da capa tendem a dobrar e amassar com a manipulação do livro — por isso, não é muito recomendado a escolha de capa brochura sem orelhas. Para uma melhor sustentação da estrutura da capa, as orelhas devem ter o tamanho mínimo de metade da largura do livro. E o tamanho máximo de 1 cm menor que a largura total do livro fechado. Ou seja, para um livro de tamanho fechado 14 x 21 cm, a largura das orelhas poderia ficar entre 7 cm e 13 cm.

A lombada é a parte lateral que fica exposta caso o livro seja deixado em pé, como acontece em livrarias e bibliotecas.A lombada se opõe ao corte dianteiro do livro. Nela, são impressos o título da obra e seu autor e o logotipo da editora. A lombada é onde a capa se fixa ao miolo do livro. Sua espessura depende do número de páginas e também dos tipos e gramaturas dos papéis usados nas páginas internas do livro e na própria capa. 

Outros elementos presentes em alguns livros:

 

A sobrecapa é uma estrutura em papel que envolve a capa protegendo o livro encadernado. Algumas editoras usam a sobrecapa com o mesmo projeto visual da capa, algo um tanto redundante. Outras, fazem a impressão comercial somente na sobrecapa, deixando a capa sem impressão ou apenas uma impressão sutil em relevo seco — o que dá bastante elegância à peça.

 

Quando a sobrecapa não ocupa toda a área da capa, é chamada de cinta. Normalmente, a cinta tem a altura de um quarto ou um terço da capa, mas também existem cintas com a altura de metade da capa (ou até um pouco mais).A cinta pode envolver a capa horizontalmente ou verticalmente, trazem informações geralmente promocionais sobre o livro.

 

luva é uma proteção de papel ou cartolina que envolve cada exemplar. O conjunto da luva e do livro se chama box, principalmente usada para coleções ou para obras com mais de um volume.

ELEMENTOS TEXTUAIS E VISUAIS QUE COMPÕEM UMA CAPA 

Título

Não crie um título genérico sem qualquer diferencial, seja com um texto que apenas nomeia o assunto, ou com um título longo e explicativo. Pense em um título curto (uma a quatro palavras), impactante e memorável, que chame a atenção e instigue a curiosidade do leitor, para que se sinta provocado a querer saber mais sobre o livro. 

 

Subtítulo

Muitas vezes pode ser facultativo, salvo quando for preciso um elemento de apoio para dar contexto ao título. Muitas vezes o papel do subtítulo será o de permitir que o título seja menor, menos óbvio, misterioso, provocativo. O subtítulo não precisa ser muito longo. Três a dez palavras são mais que suficientes para um bom subtítulo.

 

Nome do autor

O destaque e o tamanho do nome do autor deve ser na mesma medida e proporção em que seu nome vende livros e atrai leitores. Com um nome já bem estabelecido e reconhecido do grande público, o tamanho e a posição de seu nome pode ser escolhida pelo autor sem medo de errar. Fora essas raras excepções recomendo que deixe essa decisão para a sua Editora e seu Designer Editorial (ou capista) que irá fazer o projeto gráfico de seu livro. Caso o nome do autor seja muito longo, exemplo José António André Viegas, recomenda-se que defina um nome literário mais curto, como, neste exemplo, José Viegas, ou até um pseudónimo literário, como, por exemplo, Soham Jñana.

 

Chamada

A chamada, que pode ser um pouco mais longa de que um subtítulo, é um elemento opcional, mas importante para a venda do livro. Enquanto o subtítulo é uma informação de caráter editorial, explicativo e informativo, a chamada pode ser puramente comercial. Mais usada nos livros de auto-ajuda, ela evoca o benefício principal do livro para o leitor ou as qualidades do livro com um slogan que indica porquê o leitor deve realmente comprar esse livro.

 

Selo Editorial 

Existem editoras que fazem questão de que sua marca apareça em nas três principais áreas da capa: capa frontal, lombada e contracapa (quarta capa). Algumas insistem que apareça até na segunda orelha, acompanhada da URL do site da editora. Na Viegas Editora raramente colocamos nosso selo na capa frontal e, geralmente, apenas na contracapa na altura ou proximidade do código de barras. O principal é valorizar o projeto gráfico da capa, por isso, nosso selo editorial (posição, cor e tamanho) muda e se adapta ao projeto de capa sem uma ter um padrão definido.

Lombada
A lombada costuma receber até três elementos: o(s) nome(s) do(s) autor(es), título e Selo Editorial ou outro símbolo editorial da Editora. Enquanto algumas editoras adotam a ordem autor-título, outras adotam a ordem título-autor. No nosso caso, tal decisão irá depender do que melhor se enquadra no projeto gráfico escolhido assim como quanto à orientação de leitura do texto da lombada, se de cima para baixo ou de baixo para cima. Lombada americana
e a lombada europeia, são duas expressões utilizadas para diferenciar a colocação do texto de cima para baixo (americana) ou de baixo para cima (europeia). No Brasil ambos são utilizados o que dificulta no momento da escolha numa prateleira, obrigando virar o pescoço, ora para direita, ora para esquerda. Ainda que o padrão americano seja o mais usado por ser o padrão adotado pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), na Viegas Editora escolhemos de acordo com cada obra o que mais irá contribuir para uma boa harmonia dos elementos que compõem o projeto gráfico.

Texto da contracapa (quarta capa)
Esta é uma área muito importante na tomada de decisão de compra de um livro, pois seu texto costuma ser o primeiro que um potencial interessado no livro lê, depois de ser atraído pela capa frontal, no entanto tem sido muitas vezes uma área mal utilizada. O seu propósito não é o de explicar e listar todos os assuntos que o livro trata ou descrever o conteúdo editorial da obra. Na verdade, o texto da contracapa (quarta capa) deve ser pensado no sentido de uma apresentação comercial do livro, sendo o seu texto decisivo para a compra do livro pelo leitor. É por isso que o foco deste texto deve procurar atender à necessidade do leitor sobre o que ele gostaria de saber sobre a obra e como sua leitura pode beneficiá-lo. Certamente, não é o local para um texto editorial, mas sim para um texto de redação publicitária focada na conversão de vendas. Esse texto costuma ser dividido em duas partes:

Um título de impacto que atraia a atenção do leitor. E, abaixo, um texto focado nos genuínos benefícios que o leitor terá com a leitura desse livro. Em alguns casos esse texto da contracapa é finalizado com um ou dois testemunhos sobre a obra, vindo de profissionais renomados na área ou assunto do livro. É o que os marketeiros chamam de “prova social”, muito importante para a credibilidade do “produto livro”.

Texto da orelha de capa (primeira orelha)

É uma área mais versátil onde tanto podemos discorrer de forma resumida sobre como o livro é organizado, comentando ou enumerando os assuntos tratados no livro, como podemos explicar como o conteúdo editorial da obra vai entregar o benefício ou o valor prometido pelo texto mais comerciais da capa e contracapa. Outras opções para essa área são: citação de um trecho importante do livro ou um trecho do prefácio do livro, ou ainda uns depoimentos extras de terceiros sobre a importância ou benefícios do livro.

Texto da orelha da contracapa (segunda orelha)

Está área é normalmente reservada para uma biografia resumida do autor, focada em informações que mostram a autoridade e experiência do autor no assunto tratado pela obra, compartilhar apenas experiências pessoais ou acadêmicas do autor que tenham a ver com o assunto do livro. É sempre importante referir outros livros que o autor tenha produzido na área. 

Ainda que a foto do autor seja opcional, costumamos recomendar uma foto deste que seja bem produzida (com uma resolução de pelo menos 300 dpi). O ambiente da foto deve ser profissional ou de uma certa forma ligado ao tema da obra. 

Código de barras do ISBN
O código de barras deve ser aplicado sempre na contracapa (quarta capa) afim de permitir uma fácil leitura do número de ISBN por leitoras digitais. Desde 2007, este número é composto por 13 dígitos. Para ser lido eletronicamente, o código de barras deve ter apenas 1 cor para impressão em quadricromia – CMYK (100% preto).

Outros elementos
Existem outros elementos e recursos que podem aparecer na capa ou contracapa para valorizar o conteúdo do “produto livro”. Infelizmente, alguns autores ou editoras exageram criando uma verdadeira poluição visual.. Por isso, sempre que possível, evitem o uso de: 
Splash (texto destacando alguma característica especial do livro ou conteúdo extra, brindes etc); Selo (texto informando premiações do livro ou do autor); Destaque (texto para chamar atenção para um conteúdo específico do livro); Outras marcas/logotipos (associações, empresas ou instituições que endossam o livro).