Diagramação de miolo de livro

MIOLO

Entende-se por miolo o conjunto das folhas de um livro. O miolo pode ser dividido em três partes, conforme descritas abaixo, cada qual contendo seus próprios elementos:

Parte pré-textual


É composta pelos elementos que antecedem o texto principal. São eles:

Folha de guarda: folha em branco que vêm após a capa.


Falsa folha de rosto: Pode ser a primeira folha do miolo do livro que você vai encontrar após a folha de guarda, ou pode fazer também oficio de folha de guarda assim que abrir o livro. Ela contém, geralmente, apenas o título da obra e serve para colocação do autógrafo do autor (que também pode ser colocado na folha de guarda, quando existe) assim como para proteger a folha de rosto.

Folha de rosto: Ela vem logo após a falsa folha de rosto e apresenta o livro. A folha de rosto contém o nome do autor, título da obra e demais dados que caracterizam a edição, como o nome do tradutor e a editora.

Página de ficha técnica e catalográfica: Geralmente no verso de página da folha de rosto. Contém a indicação de propriedade de direitos autorais ou editorais (o símbolo de copyright ©, acompanhado do ano e do nome do titular); se tradução, a identificação da obra original; se for o caso, relação de edições e tiragens; nome da coleção, se for o caso; título do livro, autor, tradutor, ilustrador, editor e cidade e ano da publicação, dimensão, numero de páginas, registro ISBN, e demais dados catalográficos como CDD e ou CDU; endereço do editor, etc. 

Dedicatória: Geralmente curta, quando existe, está presente é posicionada na página ímpar (página da direita) de frente para a página da ficha técnica e catalográfica.

Epígrafe: Encontra-se na página ímpar posterior à página da dedicatória. Em uma obra literária, a epígrafe é uma curta citação, sentença ou pensamento relacionado à matéria tratada no livro. Também pode existir no início das seções ou capítulos da obra, introduzindo o que será lido em seguida. Sob a epígrafe coloca-se ou a referência bibliográfica completa, ou só o autor e o título do trabalho de onde foi extraída, ou apenas o nome do autor.

Sumário: Este elemento crucial não só indica ao leitor o que há dentro do livro e onde encontrar, mas é uma importante ferramenta de marketing. Os sumários e algumas páginas de conteúdo do livro são usadas pelos compradores para decidirem sobre a compra ou não do volume.

Prefácio: O prefácio é texto preliminar de apresentação, geralmente breve, onde se faz uma apresentação ou comentário a respeito da obra, podendo ser escrito pelo próprio autor ou por outra pessoa. 

Prologo: O prólogo, é uma prévia da autoria do escritor, que também pode ser enunciado por uma personagem principal ou observadora dos acontecimentos relatados, é sempre apresentada antes do primeiro capítulo, e que já faz parte da história narrada em uma obra literária. Dirigido diretamente ao leitor, o prólogo trás um esclarecimento, no qual é contado algum fato que antecede ou introduz a trama/história principal em questão. É por isso que o prólogo é entendido como o antônimo do epílogo, que é a última parte do livro vindo após o capítulo final. Inúmeras obras não apresentam epílogo ou prólogo, o que é extremamente normal. Entretanto é uma parte fundamental dos livros, sendo, por vezes, até imprescindível para o entendimento da história. O principal motivo seria permitir ao leitor a compreensão do que o escritor deseja transmitir e tudo aquilo que será apresentado para formular a história. O prólogo, então, serve como forma de “justificar” ao leitor o porquê daquele tema para aquela história e também como a desenvolveu.

Agradecimentos: Podem estar contidos no prefácio ou à parte, em página ímpar.

Parte textual


Essa parte engloba o texto correspondente ao conteúdo principal da obra. Em geral, compõem a parte textual de uma obra literária os seguintes elementos:

Página capitular: É onde tem início cada capítulo. Sempre em páginas ímpares, com diagramação no centro ótico, com capitulares;

Títulos dos capítulos; seções, subtítulos ou entretítulos (páginas subcapitulares);

Fólio: É a numeração das páginas, que não é feita entre a falsa folha de rosto e o início do prefácio nem nas páginas capitulares. Por ordem de preferência, a melhor localização é no rodapé da página, na parte externa e por fim no cabeçalho.

Cabeças: Cabeças, cabeçalhos ou cabeços, quando presentes, aparecem no alto das páginas e assinalam constantes gerais (autor ou título da obra) ou parciais do livro (capítulos ou seções). Não recomendo, por ser um elemento de poluição visual que nenhuma informação importante a ela agrega. A tradição tipográfica consagrou as seguintes parelhas: na página par o nome do autor, na ímpar o título do livro; na página par o título do livro, na ímpar o do capítulo; na página par o título do capítulo, na ímpar os subtítulos do capítulo. 

Notas: São anotações que adicionam comentários ou referências a uma parte do texto contida na mesma página. Podem figurar na parte textual ou na pós-textual. Quando diagramadas no rodapé, são incorporadas à mancha gráfica do texto. 

Iconografia: Imagens de diferentes naturezas que acompanham o texto com o objetivo de ornamentá-li, complementá-lo ou elucidá-lo.

 

Outros elementos de apoio: Quadros ou tabelas, formulas matemáticas e químicas.

Parte pós-textual

Localiza-se após o texto principal. Pode conter os seguintes elementos:

Epílogo: O epílogo, que serve como desfecho da narrativa, é geralmente escrito pelo autor da obra, mas também pode ser enunciado por uma personagem principal ou observadora dos acontecimentos relatados. No epílogo é feito um resumo final das ideias expostas, ou feito um relato do desfecho dos acontecimentos, o destino final das personagens da história e as conclusões finais em dissertações.

Posfácio: Quando presente, o posfácio acrescenta, ao final do livro, informação realente relevante que, de algum modo, altere ou confirme o conteúdo da matéria tratada no corpo da obra ou traz um ponto de vista sobre ela. No dicionário, posfácio está descrito como “advertência colocada no fim de um livro”. Portanto, é uma explicação ou advertência colocados no fim de um livro, depois que toda a história foi contada. O posfácio não contribui com mais história. Já que não faz parte da história, o posfácio não deve se estender por mais de duas ou três páginas. 

Apêndices: São materiais que acrescentam ao texto como glossário, índice, listas, biografias, currículos e cronologias.

Glossário: É uma lista de explicações de termos arcaicos, técnicos ou outros, geralmente disposta em ordem alfabética.

Bibliografia: Indica obras utilizadas como referência para a elaboração do texto ou obras recomendadas pelo autor

Índice: Apresenta uma lista de assuntos abordados no livro em ordem alfabética.

 

Colofão: É o último elemento impresso no miolo do livro e apresenta informações técnicas sobre ele, como o papel e a tipografia utilizados e o local e o ano de impressão.

Folha de guarda: folha em branco que vêm no final do miolo antes da contracapa.

 

Esses são alguns dos termos técnicos utilizados para referir-se às partes específicas de uma obra literária.

DIAGRAMAÇÃO DE MIOLO

Diagramação é um conjunto de técnicas e procedimentos que visa aplicar, ao miolo do livro, um projeto gráfico que facilite e torne agradável a leitura  a hierarquia tipográfica e a legibilidade.

 

Hierarquia tipográfica, estilos de cabeçalho, rodapé, títulos, subtítulos e legibilidade são exemplos de elementos que serão tidos em considerados pelo diagramador para que a diagramação do conteúdo se adéqua aos padrões e estilo definidos no projeto gráfico estabelecido pela editora.

diagramação 1.jpg

Antes de aprovar a prova virtual do miolo diagramado de seu livro, recomendamos que verifique sempre o seu layout para ver se seu livro foi diagramado corretamente não se encontrando nele órfãs, viúvas, e forcas (salvo quando  o uso destes fenômenos seja empregado de forma proposital em alguns layouts a pedido do autor ou por fazer parte do projeto gráfico aprovado).

linha-órfã.jpg

LINHAS ÓRFÃS

Uma linha órfã é a primeira linha de um parágrafo, impressa sozinha na parte inferior de uma página. Veja no exemplo como um parágrafo começa com apenas uma linha no final da página e o seu restante foi empurrado para a segunda página.

linha-viúva.jpg

LINHAS VIÚVAS

De modo semelhante, a linha viúva é a última linha de um parágrafo que é impressa sozinha na parte superior de uma página, como mostramos no exemplo.

forca.jpg

FORCAS

Além dos casos onde ocorrem linhas órfãs ou viúvas podem acontecer as denominadas forcas, que nada mais são que sílabas de palavras hifenizadas que ficam soltas no final ou no inicio de uma coluna ou página.

Veja no exemplo, que a palavra foi hifenizada, deixando apenas algumas sílabas no final do parágrafo.