PAPEL

Para se poder orçar o valor de impressão de seu livro, a escolha do tipo de papel (Offset - Sulfite -  Reciclado - Polen - Couché) é um elemento determinante na estrutura de custo de produção.

OFFSET

Um pouco mais absorvente e resistente do que o sulfite. Produzido com polpa química branqueada e colagem feita a partir de amido (o que lhe dá maior resistência), o papel offset tem uma macroporosidade que facilita uma boa absorção de tintas. É um papel muito usado na impressão offset de onde vem seu nome. Mais recomendado para trabalhos de uma cor, pois a impressão a cores neste tipo de papel sempre fica um pouco sem vida, com um aspecto “lavado”.

 

É considerado o papel mais simples, sendo batido em simplicidade apenas pelo papel jornal. Pode ser utilizado em impressora jato de tinta ou a laser.

 

Nas gramaturas mais leves é confundido com papel sulfite e nas gramaturas mais altas parece cartolina ou opalina.

 

Gramaturas mais utilizadas: 90 g - 120 g - 150 g - 180 g - 240 g

 

SULFITE

Prático, bom e barato, o papel sulfite, também é chamado de papel apergaminhado ou bond paper e pode ser encontrado em diferentes formatos, além do A4 que encontramos de forma mais comum em qualquer papelaria.

 

Ainda que, à primeira vista, o papel sulfite possa ser confundido com o offset, por ambos serem fabricado com celulose branqueada e adição de carga mineral na ordem de 10 a 15%, existe diferença nos formatos comercializados e no processo de fabricação.

O processo de fabricação do sulfite é feito com o uso de celulose branqueada e minerais, à qual se adiciona o sulfite de sódio, de onde provem o seu nome. Sendo poroso, o sulfite possui acabamento bem mais liso que o offset, o que facilita a absorção e aderência da tinta e garante mais vivacidade nas cores que no offset. É um tipo de papel muito usado em livros sendo produzido em branco e diversas outras cores.

RECICLADO

Reciclado: É o nome dado ao papel que, em sua fabricação, utiliza-se de alguma porcentagem de matéria-prima oriunda de reciclagem e oferece grande variedade de cores e textura, proporcionando um resultado diferenciado dos papéis frequentemente utilizados. Seu custo é levemente superior ao do Sulfite.

POLEN

O papel branco (offset ou sulfite) por refletir a luz provoca um cansaço ocular excessivo, diante de uma leitura com grande quantidade de texto. Neste caso recomendamos a escolha de papéis amarelados que recebem pigmentação na massa e são fabricados exatamente com esta função.

COUCHÉ

Couche: é o nome dado aos papéis que recebem produtos como carbonato de cálcio, caulin, látex e outras substâncias mais, que protegem as fibras do papel e o deixam mais liso, sem rugosidades. Com isso, a impressão fica mais superficial, deixando uma camada de tinta mais brilhante, pois há pouca absorção pelo papel. E é por isso que este papel é tão usado, por deixar os impressos mais vistosos.

 

Existem inúmeras variações do papel Couche, como por exemplo o Couche Fosco, Couche Brilho, ambos são lisos e uniformes, porém, a camada de revestimento do couché com brilho reflete mais luz, e por isso é mais brilhante que o fosco. O aspecto super brilhante do couché com brilho deixa as cores mais vivas, porém, dificulta a leitura. Por sua vez, o papel Couche Fosco absorve mais luz, o que deixa a cor mais pura, dando ao impresso um ar de sofisticação.

Gramaturas: De 70 a 210 são fabricados no Brasil e importados até 350 g/m².

GRAMAGEM DO PAPEL

Em determinados projetos, principalmente os que possuem muitos elementos de página, a transparência do papel pode gerar uma dificuldade de leitura, resultado na visualização dos itens que estão impressos no verso da folha. Esta característica é resultante da opacidade, ou seja, a capacidade de obstrução da luz, resultante da composição fibrosa, da espessura e da gramatura do papel. A escolha da gramatura do papel deve estar de acordo com o projeto gráfico mais adequado pra a obra. A gramatura do papel também vai ter sua influencia no peso do livro podendo dificultar as vendas online por aumentar o custo do frete.

ACABAMENTO

Para se poder orçar o valor de impressão de seu livro, a escolha do tipo de papel (Offset - Sulfite - Polen - Couché) é um elemento determinante na estrutura de custo de produção.

REFILE

O refile é um acabamento bastante comum e praticamente obrigatório, motivo pelo qual já está incluído nos orçamentos previstos por todas as gráfica. 

 

O refile tem como objetivo deixar as folhas do material em tamanhos iguais. Para isso, é feito um corte linear, que iguala as dimensões e evita que saiam em tamanhos distintos na hora da impressão. Tudo para deixar o impresso o mais simétrico e perfeito possível para o cliente.

O refile também serve para tirar as marcas de corte que são feitas para delimitar dimensões antes da impressão. É aqui também que as linhas de margem são cortadas, para que nada mais, a não ser a arte, apareça no impresso final. Antes de terminar todo o processo, ainda se usa a técnica para dar os formatos finais desejados.

 

Apesar de simples, o refile é extremamente necessário e influencia diretamente na qualidade final do material. Um refile mal feito pode acarretar em bordas brancas, perda de informações importantes e uma sensação de “aspereza”

COSTURADO

Por ser

 

COLA HOTMEL

Ainda que

COLA PUR

Couche: 

Papel e acabamento para o miolo de livro

(98) 3251-3744 - (98) 99612 2384 - (98) 98283 2560

jaaviegas.editora@gmail.com

© 2019  J. A. A. Viegas Editora (São Luís - MA - Brasil).