Quando um texto está bem escrito, apenas irá precisar de uma boa revisão ortográfico-gramatical que, como o próprio nome diz, é a verificação da ortografia (Nova Ortografia), com detecção dos erros de escrita tais como acentos, dígrafos, ortografia de palavras e etc, combinado com a revisão gramatical que procura corrigir os erros de sintaxe, de concordância e outros vícios de linguagem comuns em quem fala ou escreve.

revisao.png

“A atividade de copidesque é mais complexa que a de revisão. […] Se um texto é mal redigido, com repetições injustificáveis, mal paragrafado, contendo ideias desconexas, primando pela falta de coesão e coerência textual etc., ele deve ser copidescado. No processo de copidesque, o profissional propõe, reescreve, revisita o original, com a finalidade precípua de ‘relavrar’ o texto. Há textos ricos em conteúdo, mas que não resistem a uma análise acurada. É nessa hora que o revisor (ou o copidesque) tem de exibir o seu conhecimento de leitura, de cultura geral, e sua habilidade na produção de texto, conferindo clareza ao trabalho.” [NETO, Aristides Coelho. Além da Revisão: critérios para revisão textual. Brasília: Editora Senac-DF, 2008]

 

Ou seja, o copidesque vai “melhorar”, aperfeiçoar o texto, sugerindo reescrituras de trechos, para dar mais clareza ao texto, respeitando as características de linguagem e estilo inerentes a cada autor, eliminando dificuldades como ambiguidade, incoerência, ordenação inadequada de frases, inconsistência argumentativa, falta de clareza, entre outras.

Revisão ortográfico-gramatical / Copidesque